Pan 2007 – Qualidade das Obras, Segurança e… Lambanças!

A imprensa tem noticiado muito o fato das obras do Pan 2007 no Rio de Janeiro já terem atingido um custo 5 vezes superior – ou mais – do que o orçamento inicial. Agora, resta a questão da QUALIDADE E DA SEGURANÇA das obras, que hoje foram notícia na grande imprensa em função da péssima pavimentação de ruas que, em poucos meses, já apresentam rachaduras e afundamentos que impedem a circulação de veículos (http://oglobo.globo.com/esportes/pan2007/mat/2007/05/25/295908220.asp).

A construção da arena de tênis encontra-se paralisada há cerca de uma semana, ainda que tenha começado com muito atraso. Alguns dizem que essa paralisação se deu em decorrência de decisão judicial relacionada a irregularidades no processo de licitação. Pode ser. Mas em razão dessa ou de outra causa, seria interessante um visita do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura – CREA, que tem uma sub-sede na Barra da Tijuca. Não fica longe e assim a população talvez descubra para que serve esse órgão!

A estrutura de andaimes – em fase de construção – foi apoiada em tábuas de pinho ou similar, de baixa resistência, o que talvez acarrete um alto risco para a segurança do público no momento em que a arena encontrar-se lotada.

Abaixo, algumas fotos que falam por si próprias!

pan-tenis-3.JPG

pan-tenis-2.JPG

pan-tenis-1.JPG

Quem sabe a Defesa Civil e Corpo de Bombeiros também se animam a fazer uma inspeção, para melhor esclarecer essas questões de segurança.

***

O assunto desse artigo só guarda uma relação indireta com o tema principal desse blog. Mas a qualidade do asfaltamento das ruas da cidade “maravilhosa” e das estradas do estado do Rio de Janeiro indicam uma total falta de especificações técnicas mínimas para esse tipo de obra pública, elevando os custos de manutenção dos veículos e os riscos de acidentes, sem que haja qualquer tipo de fiscalização dos órgãos de trânsito federais e dos conselhos profissionais. Essa história de sempre colocar a responsabilidade pelo alto índice de acidentes nos cidadãos é balela, resultado de pesquisa para agradar quem pagou por ela. A má sinalização das direções, faixas separando pistas de rolamento que simplesmente desaparecem nos momentos mais críticos (como ocorre nas convergências), a péssima e irregular iluminação dos túneis, e a qualidade da pavimentação – entre outras coisas de responsabilidade do poder público – certamente contribuem de forma decisiva para os acidentes de trânsito. Há um prejuízo significativo para a qualidade de vida!

Publicado por

Luiz Prado

Quando estudante de Economia, já no segundo ano da faculdade, caiu-me nas mãos o relatório Limites para o Crescimento, encomendado pelo Clube de Roma ao MIT. Para quem não sabe, o Clube de Roma era um encontro anual de dirigenes de grandes corporações para dividir mercados. No período anterior, Agnelli propôs que discutissem, também, fontes de suprimento de matérias-primas. Como não tinham as informações, encomendaram o estudo sobre o tema ao MIT. Limites para o crescimento era algo impensável na teoria econômia! - e os economistas ainda continuam medindo o mundo pelo tal crescimento do PIB! Daí para apaixonar-me por recursos naturais foi um pulo. E passei a vida trabalhando sobre o tema.

O que você pensa a respeito?