Mudanças Climáticas Irreversíveis e Imprescindíveis Políticas de Adaptação

A Agência Internacional de Energia, que NÃO É UMA ONG AMBIENTALISTA, informa que as temidas mudanças climáticas são inevitáveis.  Com as atuais tendências ao consumo de combustíveis fósseis e o consequente aumento dos níveis de concentração de CO na atmosfera, a Agência fala num aumento de temperatura entre 3 (Folha de São Paulo) e 6 graus Celsius (New Scientist).

Até agora, o Painel Intergovernamental Sobre Mudanças Climáticas afirmava que uma elevação entre 1 e 5 graus Celsius seria suficiente para causar sérios impactos no meio ambiente.  A possibilidade de um aumento de 6 graus não era sequer considerada.  E já não se fala mais em “até 2100”, mas em 2030.

O relatório de 2008 da Agência Internacional de Energia (www.iea.org) sobre as fontes e usos de energia no mundo será divulgado no dia 12.11.2008, em Londres, mas algumas informações nele contidas já começam a ser publicadas aqui e ali. 

“Mesmo que toda a nova geração de energia de 2009 a 2020 for livre de qualquer emissão de carbono, a redução dessas emissões ao final do período será de apenas 25% do total emitido em 2006.” – afirma o relatório da Agência.  Nesse relatório, não são consideradas as gigantescas emissões de metano decorrentes do degelo no Ártico, assunto aqui mencionado em artigo recente.

Para reduzir esse  aumento de temperatura a níveis considerados aceitáveis, seria preciso que os países ditos desenvolvidos diminuíssem as suas emissões em 80% até 2050 e que os países em desenvolvimento ou subdesenvolvidos também aceitassem estabelecer limites para as suas emissões.  Mas isso é quase impossível, tanto do ponto de vista tecnológico quanto político. 

De fato, os políticos não ousam sequer mencionar a possibilidade de limitar o crescimento econômico.  E mesmo Obama, com todo o poder que as recentes eleições lhe conferiu, fala, no máximo, na criação de milhões de “empregos-verdes”, sem dizer como.  Já se foi o tempo de grandes lideranças políticas – os políticos de hoje dizem apenas o que os eleitores querem ouvir.

Nicholas Stern, o renomado coordenador de um estudo sobre mudanças climáticas encomendado pelo Tesouro do Reino Unido (UK Treasury), declarou, em recente entrevista na TV Cultura, que as previsões feitas há dois anos foram muito conservadoras.

Com isso, todos os demais problemas ambientais passam a ser periféricos.  A prioridade absoluta passa a ser – como de fato já deveria ser há algum tempo – a elaboração de políticas de adaptação a uma nova realidade.   Isso é o que os países sérios vêm fazendo.

***

Para os que não acompanham o assunto de perto, vale lembrar que o Instituto Nacional de PesquisaS EspaciaIS – INPE, que tampouco é uma ONG mas um órgão do governo brasileiro, e onde não trabalham “ambientalistas” mas cientistas, entregou, há quase dois anos, ao presidente Lula, um extenso relatório sobre os impactos das mudanças climáticas no Brasil.  Nele, os autores do relatório sugerem que o governo brasileiro se prepare para remover cerca de 46 milhões de pessoas do litoral.  O relatório descreve, também, um semi-árido nordestino transformado numa região desértica ou quase, e a Amazônia caminhando em direção a uma savana.

Publicado por

Luiz Prado

Quando estudante de Economia, já no segundo ano da faculdade, caiu-me nas mãos o relatório Limites para o Crescimento, encomendado pelo Clube de Roma ao MIT. Para quem não sabe, o Clube de Roma era um encontro anual de dirigenes de grandes corporações para dividir mercados. No período anterior, Agnelli propôs que discutissem, também, fontes de suprimento de matérias-primas. Como não tinham as informações, encomendaram o estudo sobre o tema ao MIT. Limites para o crescimento era algo impensável na teoria econômia! - e os economistas ainda continuam medindo o mundo pelo tal crescimento do PIB! Daí para apaixonar-me por recursos naturais foi um pulo. E passei a vida trabalhando sobre o tema.

2 comentários sobre “Mudanças Climáticas Irreversíveis e Imprescindíveis Políticas de Adaptação”

  1. Caro Luiz Prado

    Acompanho seu trabalho j� a algum tempo e tenho o maior respeito por ele.
    Gostaria de saber como posso ter acesso ao relatorio do INPE que vc cita na ultima newsletter que recebi.

    Um abraço e parabéns pelo excelente trabalho seu

    Marcelo

    Prezado Marcelo,

    Grato pelo comentário.
    O relatório está disponível para download em http://www6.cptec.inpe.br/mudancas_climaticas/prod_probio.shtml
    Bem escondidinho.

    Bom abraço,

    Luiz

  2. “A elaboração de políticas de adaptação a uma nova realidade”

    Esta é uma idéia perfeita a ser adotada por todo o mundo – aí incluido governos e também os cidadãos.

    No entanto o que se vê são milhares de pessoas achando tudo um grande exagero.

    É só olhar para os lados.

O que você pensa a respeito?