Encontrados Carcinogênicos em Produtos para Crianças – O Caso da Johnson & Johnson

Encontradas substâncias carcinogênicas em produtos para crianças: caso Johnson & Johnson

Mais da metade dos xampus, loções e outros produtos de higiene e cosméticos infantis, contém traços de duas substâncias consideradas potencialmente carcinogênicas pela Agência de Proteção Ambiental dos EUA (EPA): formaldeídos e 1.4-dioxano.  A Safe Cosmetics (http://www.safecosmetics.org/article.php?id=414) testou 48 produtos da linha infantil, incluindo alguns de marcas famosas como a Johnson & Johnson.

O formaldeído ( http://www.inca.gov.br/conteudo_view.asp?id=795 ), por exemplo, consta numa das listas de substâncias que não devem incluir em cosméticos, entre outros produtos regulados pela ANVISA. Mas tais substâncias não são intencionalmente adicionadas aos produtos e não figuram em seus rótulos.  Elas surgem a partir de reações químicas ocorridas durante o processo de fabricação.

A União Européia já baniu totalmente a presença do 1.4-dioxano dos cosméticos e produtos de cuidados pessoais, mas a EPA insiste que a presença de traços dessas substâncias não é danosa à saúde. A ONG que fez os testes com os produtos enfatizou o fato de que a exposição prolongada aos mesmos ou a sua presença em muitos diferentes produtos cosméticos e de cuidados pessoais de uso freqüente, pode fazer com que os tais limites considerados seguros pela EPA sejam ultrapassados.

A empresa Johnson & Johnson divulga sua Responsabilidade Social para seus consumidores e demais interessados, principalmente, através do site (http://www.jnjbrasil.com.br/noticia_full.asp?noticia=147 ). Como toda empresa, é ali que um texto é elaborado para transparecer sua preocupação com a sociedade na qual está inserida. Na maioria das vezes, são evidenciadas suas obras sociais e de caridade, sua parte nos impostos, o encorajar desenvolvimento, etc. Entretanto, para preencher o título de socialmente responsável, uma empresa deve conter características das dimensões ética, econômica e filantrópica, relacionadas a sua atividade.  

Deste modo, torna-se uma falácia atribuir seu significado ao seu modo de produção. O conceito de responsabilidade social não só significa ações voltadas para o bem estar da comunidade, contribuição caridosa, relacionamento dentro da lei com os acionistas e a concorrência, etc., como está incluído oferecer produtos saudáveis aos consumidores. Ignorar as reações químicas presentes em sua produção é um ato que suscita dúvidas sobre sua capacidade de pensar no outro. Uma empresa não pode ser considerada socialmente responsável quando ainda faltam requisitos importantíssimos que necessitam ser preenchidos.

***
Em muitos países, órgãos relacionados à defesa do consumidor, são quem estão tomando a frente da lei, cumprindo o papel de quem deveria, realmente, proteger o consumidor.  Infelizmente, isso ainda não existe no Brasil. Mas merecem atenção as tentativas de uma publicidade honesta, de iniciativa de algumas associações.

***
Cabe lembrar que essa é uma pesquisa realizada com produtos no exterior que, até que se prove o contrário, são os mesmos vendidos aqui no Brasil.

***
Merece explicação as resoluções da ANVISA que ora permitem o uso de formaldeído em cosméticos, com limites – Resolução RDC nº 162 / Brasil – e ora não permitem, exceto em um tipo de produto – Resolução nº 48 / MERCOSUL.

***

johnsons-babyweb.jpg

Publicado por

Luiz Prado

Quando estudante de Economia, já no segundo ano da faculdade, caiu-me nas mãos o relatório Limites para o Crescimento, encomendado pelo Clube de Roma ao MIT. Para quem não sabe, o Clube de Roma era um encontro anual de dirigenes de grandes corporações para dividir mercados. No período anterior, Agnelli propôs que discutissem, também, fontes de suprimento de matérias-primas. Como não tinham as informações, encomendaram o estudo sobre o tema ao MIT. Limites para o crescimento era algo impensável na teoria econômia! - e os economistas ainda continuam medindo o mundo pelo tal crescimento do PIB! Daí para apaixonar-me por recursos naturais foi um pulo. E passei a vida trabalhando sobre o tema.

O que você pensa a respeito?