Adaptação às Mudanças Climáticas – A Califórnia e Políticas Públicas Sérias

A Califórnia colocou em consulta pública a versão preliminar – para debate – de seu plano de adaptação às mudanças climáticas.  Os países sérios – e a Califórnia é quase um país – já entenderam que essas mudanças são inevitáveis e formulam políticas públicas para a transição para uma nova realidade climática.

O documento foi preparado de forma coordenada pelas áreas de saúde pública (com o apoio do Conselho de Recursos do Ar), biodiversidade (abrangendo tanto a área de parques e recreação quanto a de caça e pesca), oceano e recursos costeiros, gestão de recursos hídricos, florestas, transporte e energia.  Colaboração impossível de acontecer no Brasil onde os cargos públicos são loteados entre grupos de interesse que raramente se comunicam.

“As mudanças climáticas já estão afetando a Califórnia. O nível do mar em sua região costeira subiu até 15 centímetros ao longo no século passado, acentuando processos erosivos e pressionado a infra-estrutura, os suprimentos de água e os recursos naturais. O estado também viu o aumento das temperaturas médias, dias extremamente quentes mais freqüentes, menos noites frias, a mudança na duração das estações, alterações no ciclo das águas, e menos precipitação de água sob a forma de neve, resultando na antecipação do início do degelo a cada ano, com mais escassez de água.

“Essas alterações resultantes das mudanças climáticas afetaram recursos críticos para a saúde e a prosperidade da Califórnia.  Por exemplo, os incêndios florestais estão se tornando mais freqüentes em decorrência de mais prolongados períodos de maior seca.  Os recursos hídricos do estado, já pressionados pelo crescimento da demanda e das previsões de crescimento da população, vão se reduzir até mesmo nos cenários mais conservadores para as mudanças climáticas.  Cerca de meio milhão de californianos, muitos sem os meios de se ajustarem aos impactos esperados, estarão em risco em decorrência do aumento do nível do mar na área da baía e nas ares costeiras.”

“Na medida em que muda o clima, a Califórnia deve também mudar.  (…) A adaptação é um conceito relativamente novo nas políticas públicas californianas.”

De fato, a essas alturas, esse é um dos papéis mais importantes dos governos, e assim está sendo, em maior ou menor medida, na maior parte dos países sérios – isto é, com capacidade de planejamento de longo prazo -, com especial destaque para a Alemanha e a Holanda.

O documento pode ser encontrado no link abaixo e uma leitura ao menos de Índice e Sumário Executivo é muito interessante – em especial num país em que não podemos sequer sonhar com esse nível de seriedade na condução da coisa pública.  Vale lembrar que todo esse trabalho se baseou numa “ordem executiva” do governador Schwarzenegger, que soube compor um gabinete de governo nada afeito à política partidária, se afeito a qualquer política.  Ainda sendo republicano, Schwarzenegger manteve notável independência em relação a George W. Bush desde que assumiu o governo da Califórnia.

http://www.energy.ca.gov/2009publications/CNRA-1000-2009-027/CNRA-1000-2009-027-D.PDF

***

Enquanto isso, no Brasil os órgãos governamentais de meio ambiente ainda fazem do mero ato de disponibilizar para consulta pública os estudos de impacto ambiental de novos empreendimentos um mistério insondável.  Implicância com a internet, preguiça ou sonegação de informações?

Publicado por

Luiz Prado

Quando estudante de Economia, já no segundo ano da faculdade, caiu-me nas mãos o relatório Limites para o Crescimento, encomendado pelo Clube de Roma ao MIT. Para quem não sabe, o Clube de Roma era um encontro anual de dirigenes de grandes corporações para dividir mercados. No período anterior, Agnelli propôs que discutissem, também, fontes de suprimento de matérias-primas. Como não tinham as informações, encomendaram o estudo sobre o tema ao MIT. Limites para o crescimento era algo impensável na teoria econômia! - e os economistas ainda continuam medindo o mundo pelo tal crescimento do PIB! Daí para apaixonar-me por recursos naturais foi um pulo. E passei a vida trabalhando sobre o tema.

Um comentário em “Adaptação às Mudanças Climáticas – A Califórnia e Políticas Públicas Sérias”

  1. Achei muito interessante esse seu post. E a Califórnina está correndo atrás do prejuízo, todos têm que usá-la como exemplo e apresentar projetos viáveis.

    Marina,

    Muito bom o seu blog!

    A Califórnia não está “correndo atrás do prejuízo”. Está correndo na frente. Quem corre “atrás” são os brasileiros, em especial as autoridades brasileiras.

O que você pensa a respeito?