Bicicletas Elétricas e Eficiência Energética no Transporte Urbano – A China Dá o Seu Recado – III

Em meados de 2009, cerca de 100 milhões de bicicletas elétricas já se encontravam em circulação na China, com vendas anuais equivalentes a 90% de todo o planeta.  Na China, o preço médio dessas bicicletas gira em torno de US$ 300, ou menos de R$ 600.  Os chineses esperam que essa “febre” logo se alastre por toda a Ásia.  E podemos estar certos que bicicletas elétricas chinesas logo chegarão ao Brasil, importadas ou montadas aqui com componentes importados, mas por um preço muito mais elevado.  Hoje, uma bicicleta elétrica custa, no Brasil, algo como R$ 2.800.  Coisa de eco-chic.

e-bikes.jpg 

Caminhando por uma rua de pequenas lojas nas proximidades do campus da Universidade de Tsinghua, um dos grandes centros de tecnologias limpas da China, encontram-se dezenas de modelos de e-bikes, como ficaram conhecidas as bicicletas elétricas que agora se tornaram uma febre entre os jovens chineses.

Há os mais diversos modelos – desde aquelas feitas em plástico para reduzir o peso até as mais sofisticadas -, tanto no que se refere aos materiais e ao design quanto às baterias.

“Eu optei por uma denominada Turtle King – uma simples cópia de uma Vespa italiana – com um motor de 500 W e uma bateria comum, idêntica às utilizadas nos automóveis.  Ela tinha autonomia de 40 a 50 km e velocidade máxima de 40 km/hora, mas não custava mais do que US$ 500.  (…)  Pouco tempo depois, troquei-a por outra, com baterias litium-ion, que pesam menos e estocam mais energia, além de terem uma vida útil mais longa.

“Quando eu me encontrava na loja, conversei com dois jovens clientes, estudantes da Faculdade de Aeronáutica e Astronáutica da Universidade de Pequim. 

“Vocês devem ter toneladas dessas bicicletas nos EUA – disse um, que usava uma camiseta com a figura de Che Guevara – já que vocês estão sempre falando em consciência ecológica.  Expliquei que não, que os norte-americanos usam bicicletas para se exercitarem, não como meio de transporte.  Nas proximidades de seu campus, em Pequim, as bicicletas elétricas são tão rotineiras quanto as motocicletas nas montanhas da Itália.”

Em seu lindo e meticuloso relato intitulado Carta da China – o Gigante Verde, já citado nos dois artigos anteriores deste blog, Evan Osnos descreve duas etapas das mudanças no transporte urbano do país que hoje é o maior produtor mundial de automóveis.  Na primeira, abandonaram-se as ciclovias para dar lugar aos carros; mas agora as ciclovias estão de volta.  As bicicletas elétricas tornaram-se símbolos de status, dinamismo, excelente forma de evitar a lentidão do tráfego nas horas de rush.

A Agência Ambiental da China subsidia as bicicletas elétricas e, mais recentemente, os subsídios estenderam-se a um modelo que é mais semelhante a uma scooter, sem a alternativa de serem pedaladas.

electric-bikes-2.jpg

Lá, também cresce rapidamente a produção de carros elétricos. 

E a turma aqui brincando de “Dia da Árvore” e de “inspeção veicular” do Oiapoque ao Chuí.

***

A China encontra-se mergulhada em todos os tipos de novas tecnologias que possam reduzir o consumo de combustíveis fósseis.  De um lado, o governo não quer ficar dependente de um petróleo que pode estar em outro país ou num navio-tanque no meio do mar, e sabe que a exploração do petróleo encontrado em profundidades muito grandes (no Brasil confundido, intencionalmente, como pré-sal) pode ter custos demasiadamente elevados.  Do outro, as autoridades vêem na nova onda de energias renováveis e de eficiência energética uma fonte de profundas mudanças tecnológicas e um imenso potencial de novos negócios – incluindo geração de emprego e de renda.

Publicado por

Luiz Prado

Quando estudante de Economia, já no segundo ano da faculdade, caiu-me nas mãos o relatório Limites para o Crescimento, encomendado pelo Clube de Roma ao MIT. Para quem não sabe, o Clube de Roma era um encontro anual de dirigenes de grandes corporações para dividir mercados. No período anterior, Agnelli propôs que discutissem, também, fontes de suprimento de matérias-primas. Como não tinham as informações, encomendaram o estudo sobre o tema ao MIT. Limites para o crescimento era algo impensável na teoria econômia! - e os economistas ainda continuam medindo o mundo pelo tal crescimento do PIB! Daí para apaixonar-me por recursos naturais foi um pulo. E passei a vida trabalhando sobre o tema.

10 comentários sobre “Bicicletas Elétricas e Eficiência Energética no Transporte Urbano – A China Dá o Seu Recado – III”

  1. Olá Luiz

    Já temos dessas aqui no Brasil, só que custa muito mais,
    se não me falha a memória ví no Barrashopping à R$ 2.600,00.

    Daniel.

    Olá, Daniel,

    Aí está toda a diferença! Lá, há políticas públicas e, portanto, incentivos. Aqui, lançam como produto de luxo, para aumentar a margem de lucro, e se bobear ainda resolvem colocar um IPVA em cima por considerar veículo motorizado. E a tecnologia – ou seja, a maior fatia do lucro – continua sendo importada e, portanto, com remessa de lucros para o exterior.

    Luiz

  2. Oi Luiz
    Obrigado pela informação
    Aqui onde moro, Búzios, existem algumas bicicletas elétricas para alugar, de vez em quando passa alguém com uma dessas, o modelo é bem diferente, e não pegou muito.
    Acho que um dos grandes problemas do uso da bicicleta como veículo no Brasil é o transito caótico, não temos cultura da bike, as pessoas morrem de medo de pedalar no transito, já que ciclovias nem pensar, tenho pedalado pela região e observado que nossos vizinhos Cabo Frio e Rio das Ostras, a realidade é um pouco diferente, há mais investimento e atenção do poder público nesta área.

  3. ola luiz
    moro em curitiba, nao achei nenhuma opçao de bicicleta eletrica aqui,e as que vi na net eu achei caras.
    entrei em um site de importaçao chinesa e vi que tem muitas opcoes, mas é para quem tem loja.
    até os kits de conversao para bicicleta eletrica sao menos da metade do preco no ebay
    se alguem souber dessas opcoes mais baratas por favor me avise

    Comentário do autor do blog,

    Pois é, Marsal, as bicicletas elétricas “brasileiras” ainda são caríssimas, já que não há políticas de incentivos tarifários e as políticas ambientais se restringem à discussão do Código Florestal. Curitiba já foi líder em políticas públicas de transporte e saneamento; agora, ao que parece, essa época de ouro terminou.

  4. Sr. Luiz,
    Li no seu blog esta noticia: Bicicletas Elétricas e Eficiência Energética no Transporte Urbano – A China Dá o Seu Recado – III. Em um dos trechos diz: “Na China, o preço médio dessas bicicletas gira em torno de US$ 300, ou menos de R$ 600”.

    Gostaria de saber como adquirir esta bicicleta elétrica, direto da China.

    Gerardo

    Prezado Gerardo,

    O Brasil não é um país gerador de tecnologias como a China e os países sérios – o Brasil é mero exportador de produtos primários – e tem uma das maiores cargas tributárias do mundo. Importar uma bicicleta significa pagar um alto imposto sobre o preço dela AO QUAL SE ADICIONA O VALOR DO FRETE (eles são só malucos ou são gatunos mesmo?); e depois, na “internalização” paga-se o ICMS sobre o total acima. Aí, não conseguimos importar nem modernas lâmpadas LED que já são largamente utilizadas na iluminação público com redução de 50 – 70% do consumo de energia.

  5. Olá Sr Luiz. Trabalho com importação e venda de Bicicletas Elétricas desde 2005, e a cada ano o governo aumenta mais as taxas. Hoje compro a bicicleta clétrica na China por U$ 400,00, e ao chegar aqui, pagando o transporte, e o desembaraço + impostos, fico com 120% de imposto no total,e ainda emitindo Nota Fiscal com 18% de imposto, fazendo com que quase 150% fique para o Governo. Hoje vendo as bikes por R$ 2.100,00. Um Absurdo. Um Grande Abraço Roland Schmitt

    Prezado Roland,

    Esse é o “governo” que diz se preocupar com as mudanças climáticas.

    Há, também, ônibus urbanos híbridos já produzidos no Brasil, mas o “governo” não apoia o fabricante nacional, que termina exportando toda a sua produção.

  6. Cada dia mais as bicicletas elétricas estão se tornando realidade. Em Belo Horizonte, com muitos morros, já se vê bastante bicicletas pelas ruas.
    Eu estou vendendo algumas e faço outras sobre encomenda, com potências e torques superiores.

    Quem quiser conhecer é so entrar: http://www.estiloeletrico.com.br

    Podem participar do fórum de discussões sobre carro e bicicleta elétrica também em: http://www.meueletrico.com

    Um Abraço

    Tiago Souza
    meueletrico@gmail.com

  7. Adorei o post, estou trabalhando com a conscientização da população sobre o uso das bicicletas elétricas. Trabalho em parceria com uma fabricante de Leme, 100% brasileira, que está entrando no mercado agora porém já existe grande procura sobre bicicletas elétricas na região do interior de São Paulo, onde estamos divulgando bastante!
    Se puder falar mais sobre as bicicletas eu agradeceria!
    Obrigada!

  8. Com sede em Chongqing, na China, nós desenvolvemos o mais novo e motos, a velocidade de quem pode chegar a 50 km / h. E pode correr a distância de 80 km por carga. Se você interessounele, pls me fornecer seu endereço de e-mail para que eu possaenviar as especificações para você para que você saiba mais vantagens do mesmo. Estamos à procura de parceiros ouagentes em países estrangeiros, se você é o único fabricante ouimportador, se você está interessado em nossos e-motocicleta, pls sente livre contatar-me.
    Website: http://www.chinabashan.com
    http://bashan-electricproduct.com
    http://cnbashan.en.made-in-china.com/
    Cartão
    Nome: Nancy Xia
    empresa: China Chongqing Astronáutica Basã MotosManufacturing Co., Ltd.
    e-mail: Nancy-xia@chinabashan.com
    SKYPE: myidea-nancy
    MSN: myidea-nancy@hotmail.com
    celular: 15826124656

  9. temos uma loja de motos em Telemaco Borba-pr

    temos interesse em comprar scooter eletricos, precisamos comprar

    nossa cidade tem basbante morros , precisamos de uma que sirva para nossa cidade

    telefone 42 3273-2959- ou 41 9943-0616 Gerente de Compra Oedes

  10. Nunca vi scooters elétricos no Brasil. Na verdade, penso que nem bicicletas elétricas são fabricadas no Brasil. Mas logo chegarão os chineses….

O que você pensa a respeito?