Conflitos Pela Água – Uma Realidade no Peru

John Vidal, editor de meio ambiente do jornal ingles The Guardian, está fazendo uma viagem pelas regiões de geleiras dos Andes, de onde seguirá para a Amazônia.  Trata-se de uma reportatem em estilo inovador de apresentação.

Nela, pode-se VER como estão ocorrendo conflitos pela água, em particular em Espinar, no Peru, com imagens da polícia se defrontando com manifestantes das áreas mais atingidas.

O governo de Espinar informou a John Vidal que já sobem a 5.000 os conflitos pela água, dos quais 50 terminaram em violência.

Nestor Cuti, um líder dos camponeses locais, afirma que as guerras pela água começaram: “nós não teremos mais água em 10 ou 15 anos”.

O governo central quer levar a água de Espinar para fazendeiros mais poderosos, e a população de Espinar protesta.  Os problemas já se estendem a Cuzco, onde falta água 6 horas por dia.  As imagens são bastante chocantes.

No Ecuador, grandes geleiras se reduziram em 40% ao longo de uma única geração.  E esse processo tende a se acelerar.  Além de regular a temperatura, os glaciais fornecem a água que abastece as populações, assegura a irrigação necessária à produção de alimentos e a geração de eletricidade na Colômbia, na Bolívia, no Peru e no Equador.

“A população terá que se adaptar às mudanças” – afirma John Vidal.

Ainda que a narração seja apenas em inglês, as imagens dos vídeos falam por si só.  Elas podem ser vistas em The Guardian – John Vidal, clicando-se nos péquenos símbolos vermelhos em formato de losango.

Vamos ver o que John Vidal mostrará sobre a Amazônia, nos próximos dias, enquanto em Cancun o naufrágio anunciado do encontro mundial sobre mudanças climáticas já mostrou que tudo se limitará a um passeio turístico, eom alguns eventuais “acordos” midiáticos que logo serão deixados de lado.

Publicado por

Luiz Prado

Quando estudante de Economia, já no segundo ano da faculdade, caiu-me nas mãos o relatório Limites para o Crescimento, encomendado pelo Clube de Roma ao MIT. Para quem não sabe, o Clube de Roma era um encontro anual de dirigenes de grandes corporações para dividir mercados. No período anterior, Agnelli propôs que discutissem, também, fontes de suprimento de matérias-primas. Como não tinham as informações, encomendaram o estudo sobre o tema ao MIT. Limites para o crescimento era algo impensável na teoria econômia! - e os economistas ainda continuam medindo o mundo pelo tal crescimento do PIB! Daí para apaixonar-me por recursos naturais foi um pulo. E passei a vida trabalhando sobre o tema.

O que você pensa a respeito?