As Belezas da Grécia – Encostas, Topos de Morro, e Outras Tolices Genéricas

Imagens da Grécia, para encantar os olhos!

Se fosse no Brasil, não poderia!  Apareceria logo um emepéio ou uma emepéia de sapato lustroso, ou um greenpsíco – para dizer que na encosta e no topo de morro… tem que demolir.

Vale apreciar até o final  – Santorini.

Sem deixar de olhar para o seu próprio umbigo, não se vai a lugar nenhum.  Como é possível ver nas imagens, tudo depende da geologia, da topografia e do clima da região.  E isso não pode ser estabelecido genericamente, e muito menos por zumbientalóides.  Requer-se o estudo in situ.  E, se for o caso, obras de contenção.

Publicado por

Luiz Prado

Quando estudante de Economia, já no segundo ano da faculdade, caiu-me nas mãos o relatório Limites para o Crescimento, encomendado pelo Clube de Roma ao MIT. Para quem não sabe, o Clube de Roma era um encontro anual de dirigenes de grandes corporações para dividir mercados. No período anterior, Agnelli propôs que discutissem, também, fontes de suprimento de matérias-primas. Como não tinham as informações, encomendaram o estudo sobre o tema ao MIT. Limites para o crescimento era algo impensável na teoria econômia! - e os economistas ainda continuam medindo o mundo pelo tal crescimento do PIB! Daí para apaixonar-me por recursos naturais foi um pulo. E passei a vida trabalhando sobre o tema.

2 comentários sobre “As Belezas da Grécia – Encostas, Topos de Morro, e Outras Tolices Genéricas”

  1. As leis ambientais brasileiras são tão desconexas, que se transformaram em arte. A arte da feiúra ou Arte da depredação do país. Quem não aprecia o belo, certamente não pode ser evoluído, portanto, se arte, é muito pobre.E mais pobre, quando fazem farra com o patrimõnio alheio, alegando um discurso qualquer que justifique demolições por uma ideologia da miséria. Isto é o retorno do homem às cavernas, sem cavernas, se estiverem em áreas protegidas pelos deuses, cuja sigla é APP. É proibido prosperar no Brasil, é permitido apenas sobreviver. A reportagem do Fantástico da TV Globo mostrou mansões que estão no rol das futuras demolições pelo Ministério Público, e uma delas porque o proprietário desviou o curso do rio, mas ninguém fala em demolições ao redor do Rio Tietê, cujo leito também foi desviado. Com este radicalismo tacanho, sobra-nos o deleite de apreciarmos belezas estrangeiras. Assim como a Grécia, o que seria também de Veneza se dependessem das leis ambientais brasileiras?

  2. E os resultados concretos benéficos para o meio ambiente: zero! A contrário, as políticas de gestão ambiental brasileiras naufragaram totalmente, e não é porque as leis não são aplicadas, mas porque são burras mesmo.

O que você pensa a respeito?