Energias Renováveis – Iniciativas Exemplares de Pequenas Cidades Italianas

Pequenas comunidades que geram mais energia renovável do que consomem?

Ao final de 2.010, isso já acontecia em mais de 800 vilarejos rurais na Itália, com turbinas eólicas entre olivais e outros plantios, segundo um recente relatório intitulado Comunidades Renováveis – 2013 já são 27 as pequenas comunidades 100% abastecidas por energias renováveis (cf. página 34, onde a sigla FT refere-se à metragem quadrada de energia solar-térmica e FV à geração fotovoltaica).

Na lista dessas pequenas comunidades, não se encontra o vilarejo de Tocco da Casauria, na região de Abruzzo.  Com os seus 2.700 habitantes, produz 30% mais energia do que consome.  As tarifas não puderam ser reduzidas devido à legislação em vigor, mas a comunidade usou a receita adicional para suprimir despesas dos cidadãos em outras áreas, como na coleta de lixo, na alimentação fornecida às crianças nas escolas, e mesmo em tarifas reduzidas no centro local de atividades de saúde.  As refeições fornecidas pelas escolas locais aos seus alunos custam menos de 1 Euro por dia!  Administrações municipais inteligentes driblam a regulamentação das concessões dos serviços de eletricidade e tomam iniciativas que beneficiam os seus cidadãos.

De fato, já são mais de 800 as comunidades italianas que geram mais energia do que consomem, segundo uma reportagem do New York Times (que não cita a fonte dessa informação).

Nada de “desapropriar” áreas para a produção de energia eólica.  As áreas necessárias à implantação das torres são alugadas ou os proprietários têm uma participação na produção, e podem continuar com os seus plantios e pastos ao redor delas.  Por que o governo se meteria num assunto de interesse exclusivo das partes.

***

Diversas iniciativas estão sendo tomadas para introduzir a energia eólica em áreas urbanas ou para o abastecimento individual de edificações, colocadas sobre os telhados, como se pode ver na página de um dos fabricantes cujos produtos já estão no mercado.

***

Para quem se interessa por políticas públicas na área de energias renováveis, recomenda-se um Estudo de Mercado Sobre Tecnologias Verdes na Coréia (em inglês, encomendado pela Câmara Anglo-Coreana de Comércio) no qual se evidenciam os amplos investimentos governamentais no desenvolvimento de tecnologias em energias renováveis, e/ou um artigo mais curto intitulado A Coréia do Sul e sua ambição na área de energias renováveis.

 

 

 

 

 

Publicado por

Luiz Prado

Quando estudante de Economia, já no segundo ano da faculdade, caiu-me nas mãos o relatório Limites para o Crescimento, encomendado pelo Clube de Roma ao MIT. Para quem não sabe, o Clube de Roma era um encontro anual de dirigenes de grandes corporações para dividir mercados. No período anterior, Agnelli propôs que discutissem, também, fontes de suprimento de matérias-primas. Como não tinham as informações, encomendaram o estudo sobre o tema ao MIT. Limites para o crescimento era algo impensável na teoria econômia! - e os economistas ainda continuam medindo o mundo pelo tal crescimento do PIB! Daí para apaixonar-me por recursos naturais foi um pulo. E passei a vida trabalhando sobre o tema.

4 comentários em “Energias Renováveis – Iniciativas Exemplares de Pequenas Cidades Italianas”

  1. Olá, Luiz
    Boechat recomendou seu blog hoje, durante entrevista com ele e com Mariana Procópio, quando você comentou sobre a misteriosa mancha que a NASA detectou por satélite. Confesso que acessei na mesma hora e estou bastante impressionado. Parabéns pelo excelente trabalho!

  2. Prezado Antonio,
    Grato!
    Ninguém tira 20 milhões de toneladas de lodo podre do fundo da Baía de Guanabara e usa águas costeiras como “bota-fora” acreditando que o mar vai levar para longe, sobretudo quando não se conhecem as correntes submarinas.

  3. Um prefeito exemplar, não?
    Você compraria um carro usado dele?
    Já foi cassado?
    O INEA aprovou essa porcaria, suponho!

O que você pensa a respeito?