Gerando Eletricidade com o Abastecimento de Água

A água das concessionárias de serviços públicos corre com alguma pressão por dentro de tubulações.  Em alguns casos, com muita pressão, nas principais adutoras e/ou quando a tubulação está indo de um ponto mais alto para outro mais abaixo.

Pois bem, uma empresa resolveu usar essa pressão e/ou diferencial de altura para gerar energia, instalando turbinas dentro das tubulações.

Ainda para quem não entenda inglês, as imagens falam por si próprias.

A tecnologia é uma mistura de conhecimento transformado na produção de algo útil com algumas doses de imaginação, a vontade de inovar.

A empresa, LucidEnergy (nome cuja tradução livre seria “energia lúcida”), não apenas percebeu a oportunidade tecnológica mas o fato de que 6% da energia consumida nos EUA é utilizada para transportar água de um lugar para outro através de tubulações – e esse percentual chega a 20% na Califórnia, onde os sistemas de transmissão de água cobrem longas distâncias.

Também no Brasil as concessionárias de água e esgoto encontram-se entre os maiores – quando não são os maiores – consumidores de eletricidade em suas áreas de concessão, mas não parecem se interessar muito pelo consumo de energia ou pela eficiência no seu uso, nem no coração dos sistemas de bombeamento – com a adoção de bombas de rotação variável – e ainda menos nos sistemas de leitura dos hidrômetros, com a sua substituição progressiva dos atuais equipamentos – cujo percentual de obsolescência é alto – por medidores automáticos remotos, que não requerem o envio de uma pessoa aos locais, com tudo o que isso implica de custo e até mesmo de tráfego de veículos nas cidades.

Ganha uma passagem para o eterno mundo do atraso mental e da inércia institucional quem descobrir na página de uma concessionária de água e esgoto quanto ela gasta de eletricidade por metro cúbico de água produzida e/ou faturada.

E se uma empresa terceirizada de leitura de contas de água já tiver um acordo com a concessionária ou com algum tribunal estadual de contas como fator de indução da inércia?

 

 

 

 

 

 

Publicado por

Luiz Prado

Quando estudante de Economia, já no segundo ano da faculdade, caiu-me nas mãos o relatório Limites para o Crescimento, encomendado pelo Clube de Roma ao MIT. Para quem não sabe, o Clube de Roma era um encontro anual de dirigenes de grandes corporações para dividir mercados. No período anterior, Agnelli propôs que discutissem, também, fontes de suprimento de matérias-primas. Como não tinham as informações, encomendaram o estudo sobre o tema ao MIT. Limites para o crescimento era algo impensável na teoria econômia! - e os economistas ainda continuam medindo o mundo pelo tal crescimento do PIB! Daí para apaixonar-me por recursos naturais foi um pulo. E passei a vida trabalhando sobre o tema.

2 comentários sobre “Gerando Eletricidade com o Abastecimento de Água”

  1. A necessidade é a mãe de todas as invenções. Vamos tentar todas as possibilidades.

O que você pensa a respeito?