Petrobras e IPHAN – Estragando a paisagem do Rio no Parque do Flamengo


-- Download Petrobras e IPHAN - Estragando a paisagem do Rio no Parque do Flamengo as PDF --


O Parque do Flamengo é um dos mais belos integrantes do acervo paisagístico, turístico e de lazer da cidade do Rio de Janeiro.  Por essa razão, foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN em 1965!

No Parque, está o Museu de Arte Moderna – MAM, belíssimo.  Um tour virtual da sua arquitetura e área do entorno pode ser feito aqui, movimentado-se o ícone no canto inferior direito.  Ao fundo, a bela paisagem da Baía de Guanabara.

Assim como quem não quer nada, a paisagem da baía nos fundos do Museu começa a ser ocupada por embarcações que trabalham para a Petrobras – a mesma Petrobras que se vangloria da “sustentabilidade” – como tantas outras grandes empresas – e do controle da cadeia de fornecedores.

Abaixo, mais algumas imagens da mutilação da paisagem por embarcações a serviço da Petrobras – que vem transformando a Baía de Guanabara em gigantesco estacionamento de plataformas de petróleo em manutenção (sim, há alternativas para a manutenção em outros lugares, inclusive em mar aberto).

E, como se não bastasse, já estocam material para melhorar ou ampliar os ancoradouros para essa agressão à paisagem e ao meio ambiente.

O IPHAN silencia, a Prefeitura nada diz, e se as coisas forem deixadas aos cuidados da Petrobras, logo farão ali um novo “ponto de apoio” às suas atividades.

Isso tudo numa área turística, de visitação que trás tranquilidade e amplitude às mentes, aos fundos do MAM e dos estupendos jardins de Burle Marx.

 

Publicado por

Luiz Prado

Quando estudante de Economia, já no segundo ano da faculdade, caiu-me nas mãos o relatório Limites para o Crescimento, encomendado pelo Clube de Roma ao MIT. Para quem não sabe, o Clube de Roma era um encontro anual de dirigenes de grandes corporações para dividir mercados. No período anterior, Agnelli propôs que discutissem, também, fontes de suprimento de matérias-primas. Como não tinham as informações, encomendaram o estudo sobre o tema ao MIT. Limites para o crescimento era algo impensável na teoria econômia! - e os economistas ainda continuam medindo o mundo pelo tal crescimento do PIB! Daí para apaixonar-me por recursos naturais foi um pulo. E passei a vida trabalhando sobre o tema.

O que você pensa a respeito?