Roraima e segurança energética – Brasil, um país do passado

O Brasil opõe-se à inovação – mesmo quando já consagrada no mundo inteiro! – e continua movido pela mesmice, nessa época de rápidas transformações.  Um bom exemplo é o abastecimento de energia elétrica para o estado de Roraima, um problema já por demais conhecido, que se agravou porque a eletricidade do estado vem da Venezuela e o mesmo blá-blá-blá “emergencial” de sempre.  Nenhuma visão estratégica.

E isso não é coisa da atual administração que possa estimular os fora isso ou aquilo.  É assunto que vem de longe.

Continuar lendo Roraima e segurança energética – Brasil, um país do passado

A ANEEL joga contra a segurança energética do Brasil e a serviço do atraso

As concessionárias de energia elétrica argumentam contra os incentivos à energia solar distribuída e a ANEEL finge que faz um trabalho sério ao convocar audiências públicas num país onde não existem organizações de consumidores com estrutura para entrar no debate.  O assunto foi objeto de reportagem da Folha de São Paulo, sem a qual apenas um punhado de iniciados saberia da trama.

Continuar lendo A ANEEL joga contra a segurança energética do Brasil e a serviço do atraso

Embarcações de transporte movidas a hidrogênio, enquanto a Petrobras acha que o negócio dela é pré-sal

Na Califórnia, uma empresa de transporte aquático anuncia o catamarã de transporte de passageiros (ferry boat) inteiramente movido a hidrogênio.

Enquanto isso, aqui, o presidente da Petrobras declara que a missão da empresa é “desenvolver” o pré-sal, sem mencionar custos e liberdade de importação de combustíveis derivados de petróleo diretamente pelas distribuidoras.  Trata-se de sustentar a Petrobras sem qualquer consideração relacionada à economia nacional e ao bolso dos brasileiros.

Continuar lendo Embarcações de transporte movidas a hidrogênio, enquanto a Petrobras acha que o negócio dela é pré-sal

A Petrobras e o Brasil em questão – Até quando essa estatal será um bom investimento

Novamente, um estudo de grande seriedade indica que o petróleo pode perder rapidamente o seu peso relativo na economia internacional em decorrência dos rápidos avanços nas energias renováveis e na área de eficiência energética em geral.

“A rápida redução na demanda por combustíveis fósseis poderá resultar em perdas econômicas entre US$ 1,3 e US$ 5.3 trilhões até 2035”, afirma o estudo (cf. reportagem do The Guardian com o cursor no trecho acima sublinhado, que contem um link para o estudo em negritos).

Continuar lendo A Petrobras e o Brasil em questão – Até quando essa estatal será um bom investimento

A morte anunciada das térmicas a carvão… e o Brasil na mesmice

O título de uma notícia não poderia ser melhor – e por isso foi, aqui, apenas traduzido: Assim morre o carvão – Com energias renováveis super baratas e sistemas de estocagem de energia.

A notícia foi publicada inicialmente por Think Progress e logo reproduzida por outros meios de comunicação.  Ela pode ser lida aqui (em inglês).

A noticia é sobre a última concorrência feita no Colorado para aquisição de energia firme – isto é, de fornecimento constante, 24 horas por dia – que resultou em preços de energias renováveis mais baixos do que os meros custos operacionais das termelétricas a carvão existentes (e já amortizadas).  E isso no Colorado, onde os índices de insolação não são tão altos quanto na região nordeste do Brasil.

Continuar lendo A morte anunciada das térmicas a carvão… e o Brasil na mesmice